Bilder Listen Slider
 


Agricultura nacional – A diversidade como característica

Diversidade da origem das espécies cultivadas no Brasil Império e contemporâneo

É comum a visão de um agro brasileiro pouco diverso e ligado à monocultura. Desde o Brasil Império, porém, a diversidade esteve presente. Saiba mais (...)

É muito comum pensarmos no desenvolvimento da agricultura no Brasil através dos grandes ciclos de monoculturas, como a cana de açúcar e o café. Quando pensamos na ocupação da terra no Brasil sob domínio português a imagem que vem a cabeça é de uma produção agrícola com pouquíssima diversidade.

Embora seja inegável que os cultivares dos grandes ciclos tenham desempenhado um papel hegemônico, a diversidade de espécies cultivadas no país foi muito mais ampla nesse período.

Diversidade agrícola no Brasil Império

No inicio do século XIX a situação econômica do Brasil era preocupante. A forte concorrência dos holandeses na produção de açúcar, a dificuldade no manejo do gado e a queda na extração de ouro formavam um cenário desafiador. Para contrapor essa situação, a coroa portuguesa passou a incentivar a produção de café, espécie trazida da Guiana em 1727 e se adaptou muito bem por aqui, em especial nas localidades que possuíam a terra vermelha (“roxa”), como no Paraná e interior de São Paulo.

A iniciativa reergueu o país que passou a ser o maior produtor mundial de café, título que ostenta até hoje. São Paulo, até então pouco relevante no cenário nacional, foi o maior beneficiado com o ciclo do café. Grandes lavouras cortavam o interior paulista, dando origem a uma nova elite que ocuparia papel importante nas questões nacionais.

Essa é uma história bem conhecida, mas é só uma parte do todo. Embora a agricultura brasileira se caracterize por culturas hegemônicas voltadas a exportação, como a soja atualmente, a diversidade sempre esteve presente. É o que nos mostra o livro: “O Guia do Jardineiro Horticultor e Lavrador Brazileiro” de Custódio Oliveira e Lima, publicado em 1853.

Na obra, o autor lista as plantas cultivadas durante o Brasil Império, bem como o papel que estas desempenhavam na economia doméstica. No total Custódio levanta 64 plantas de hortas e searas, 133 plantas de jardim e 35 plantas de pomar, mostrando que os agricultores nacionais iam muito além do café.



Diversidade agrícola que permanece

A visão sobre um cenário agrícola pouco diverso permanece até hoje por aqueles que não vivem o agro. Hoje o agronegócio é aliado da tecnologia hidráulica de ponta, além de ter muitas universidades que alimentam de maneira permanente a Revolução Agrícola 4.0 com tecnologia genética na lida com sementes e animais, além das engenharias que proporcionam o conhecimento científico aplicado, tudo isso transformou a nossa história e o modo de lidar com o campo, na agricultura e pecuária.




Fique por dentro de todas as novidades da Bauer, siga nossas páginas nas redes sociais e assine nossa newsletter para não perder nenhuma novidade de nosso blog! Até a próxima!





#Agricultura / #Agro / #Agricultura / #Familiar / #Agrícola